Uma cena de terror está a reavivar o pesadelo do narcotráfico no México. Na cidade de Iztapalapa, os condutores que passavam por debaixo da ponte La Concordia, depararam-se com um cenário de extrema violência. Um corpo pendurado na ponte, com as mãos atadas atrás das costas, com ligaduras brancas enroladas dos pés à cabeça e com o rosto tapado com uma máscara preta.

A polícia foi imediatamente avisada, tendo o corpo sido retirado por volta das quatro da manhã por um destacamento de bombeiros. Depois da trasladação do cadáver para o instituto forense, as autoridades confirmaram que se tratava de um homem na casa dos 30 anos, que apresentava sinais de tortura e que tinha sido baleado duas vezes na cabeça.

Por isso, e como conta o El Pais, esta situação traz à memória os tempos de violência extrema e sádica dos grupos do narcotráfico que espalharam o terror no México. Os corpos pendurados em pontes foram, nomeadamente, um dos símbolos do cartel Los Zetas durante a guerra contra o cartel do Golfo no princípio da década de 2000.

Mas o regresso dos casos de violência associados aos cartéis da droga não é de agora. Já em maio um grupo armado invadiu uma dos centros da procuradoria e baleou um cabecilha do Cartel Nova Geração de Jalisco. Pouco tempo depois, em junho, o dono de um bar no centro da Cidade do México, foi baleado quando saía do seu carro.

Neste momento vive-se, na capital mexicana, a pior onda de homicídios dos últimos 17 anos. Até agosto registaram-se 1.147 assassinatos.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR