O Netflix é um serviço de streaming de televisão, dedicado a filmes e séries. Ativo desde 2007 nos EUA, é o líder mundial do serviço de televisão via internet, com mais de 65 milhões de subscritores em mais de 50 países É em tudo semelhante aos serviços de streaming de música, como o Spotify, TIDAL ou Apple Music. Por uma mensalidade, o utilizador acede aos conteúdos oferecidos pelo serviço, que é distribuído via internet.

Basicamente, através do Netflix poderá ver filmes e séries quando quiser (on demand), sem esperar pelo “direto”, à semelhança do que já acontece com a televisão por cabo. Os pacotes e respetivos preços já são conhecidos desde o final do mês passado:

  • plano “base” de um ecrã em SD que custará 7,99 euros por mês
  • plano “standard” de dois ecrãs em HD por 9,99 euros por mês
  • plano “premium” de quatro ecrãs em Ultra HD 4K por 11,99 euros por mês

Aqui revela-se uma das grandes vantagens do serviço: a qualidade de imagem que pode chegar ao ultra HD, um sistema para o qual já muitos televisores modernos e alguns computadores estão preparados. Note que a alta definição (HD, 720p ou 1080p) é diferente do 4K (2160p), pelo que poderá ajustar o tarifário aos dispositivos que tem em sua casa. O SD corresponde ao serviço que conhecemos da maioria dos canais de televisão, nomeadamente das estações em canal aberto (serviços público, SIC e TVI).

Entenda por “ecrãs” o número de dispositivos através dos quais acede ao serviço. Por exemplo, um televisor, um computador e um tablet totalizam três “ecrãs”. O acesso ao serviço pode ser feito através do browser ou de aplicações dedicadas (apps). Dispositivos como a Apple TV ou o Chromecast permitem passar séries e filmes da internet para o televisor (alguns já permitem acesso direto à rede, dispensando processos intermediários).

O Netflix usa a ligação de internet doméstica e funcionará melhor tanto quanto mais rápida for a velocidade contratada no serviço. Por exemplo, uma ligação de internet por fibra ótica dá garantias, à partida, de uma melhor qualidade de imagem. Contudo, o streaming vai-se ajustando à velocidade disponível, podendo passar de HD para uma qualidade inferior se a velocidade da internet diminuir — o que acontece, por exemplo, nas ligações Wi-Fi, em que o sinal pode ser mais fraco em determinadas divisões da casa.

Tal como os serviços de streaming de música, o Netflix é subscrito mensalmente. Poderá interromper o serviço em qualquer altura, bastando para isso cancelar a renovação automática da subscrição.

O Netflix funciona também com um sistema de recomendações, à semelhança dos serviços de música e de televisão por cabo. O algoritmo do Netflix aprende com o utilizador e apresenta as séries ou filmes que melhor se relacionam com os hábitos de consumo.

Um contra que pode ser importante é a atualidade dos conteúdos. Tal como acontece com os canais de filmes e séries dos canais do cabo, não espere ver de imediato os filmes que acabaram de estrear no cinema.

O mesmo se passa com as séries televisivas, nomeadamente com alguns conteúdos de produção própria que tornaram o Netflix mundialmente famoso. A grande ausência é a série “House of Cards”, cujos direito em Portugal já tinham sido vendidos à SIC. É, a par de “Orange Is The New Black”, uma das séries mais importantes do serviço.

Estas decisões estão relacionadas com as negociações entre o Netflix e os canais de televisão dos diferentes países europeus, que entretanto já haviam negociado a distribuição local de alguns dos conteúdos.

As séries que são produzidas fora do Netflix também podem demorar a chegar, à semelhança do que acontece com os canais de televisão por cabo, pelo que não notará grande diferença em relação ao que já existe — além, claro, das séries de produção própria.

Desta terça para quarta, a partir da meia-noite, poderá subscrever o novo serviço em netflix.pt. O primeiro mês é gratuito.