À primeira vista o Slash Hair Studio pode ser facilmente confundido com um galeria de arte: uma das paredes tem uma ilustração assinada pela reconhecida artista Tamara Alves, o fundo da sala está iluminado com holofotes e a voz de Lana del Rey ecoa pelos quatro cantos da sala. “É um salão artístico”, explica a responsável Olga Ferreira-Hilário. Foi ela que veio diretamente do Reino Unido para abrir um novo espaço no Saldanha, em Lisboa. “O nosso objetivo é inovar ao oferecer serviços de cabeleireiro e maquilhagem às pessoas ocupadas que não têm tempo para tratar da sua aparência.”

Slash, hair cut, silvia silva, 2015, lifestyle,

Olga Ferreira-Hilário tem 30 anos e já trabalhou como cabeleireira em cidades como Londres e Manchester durante mais de 12 anos. © Michael M. Matias/Observador

Logo, não estranhe quando lhe derem um tablet para as mãos assim que entrar. À medida que Olga põe as mãos na tesoura, pode responder a e-mails ou ver o catálogo de penteados. E as revistas também são digitais. Há edições nacionais e internacionais prontas a ler ao som da sua banda sonora favorita (basta um toque no pequeno aparelho para mudar a música ambiente que está a tocar no espaço). Durante o processo, a responsável ainda convida os clientes a tirarem uma selfie para colocarem no instagram do Slash. “Para além disso, temos wi-fi e uma área de sofás onde os clientes podem trabalhar enquanto aguardam, por exemplo, pelo tempo de pose de uma cor”, acrescenta a diretora criativa.

Slash 0098

Para além da ilustração da artista urbana Tamara Alves, há um candeeiro personalizado repleto de tesouras a decorar a sala de espera. © Michael M. Matias/Observador

Mas se for daquele tipo de pessoas que só dispõe de meia hora, pode optar pelos menus de blow dry em que lhe é feito um penteado a seco (15€) em menos de 30 minutos. O corte, esse, varia entre os 34,50€ e os 42€ consoante o que precisa de fazer e quem lhe corta o cabelo. Já os serviços do salão também são tudo menos convencionais: os pentes dão lugar às modernas escovas Tangle Teezer e as toalhas de algodão são substituídas por descartáveis. “Trabalhei com elas durante vários anos, são mais higiénicas e ecológicas por serem recicláveis”, diz Olga. “Só assim conseguimos diminuir a pegada ecológica de um cabeleireiro que normalmente gasta muita água.”

Slash, hair cut, silvia silva, 2015, lifestyle,

A diretora criativa do salão confessa que uma das tendências do próximo inverno é o cabelo comprido e reto com risco ao meio. © Michael M. Matias/Observador

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

O espaço, em tons de azul e preto, tem pormenores que dificilmente passam despercebidos aos olhares mais atentos. O design das peças de mobiliário foi inspirado em pedras de diamante e a predominância do branco faz lembrar uma tela que está à espera de cor e criatividade. “Em complemento, temos um estúdio que irá receber exposições, workshops e performances de artistas dentro de várias áreas como a fotografia e pintura.” Lembre-se: o Slash não é uma galeria nem um típico cabeleireiro. “É um salão artístico” onde a criatividade começa nas mãos de Olga e acaba no seu cabelo.

Nome: Slash Creative Hair Studio
Morada: Rua D. Estefânia, 87A (Saldanha), Lisboa
Contacto: 21 584 1697; hello@slash.pt
Horário: Terça a sexta das 09h00 às 21h00; Sábados das 10h00 às 19h00
Preço médio: 30€
Marcações: Aceitam

Texto editado por Ana Dias Ferreira.