Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Um homem acusado de drogar e matar quatro jovens apareceu nas filmagens de um episódio do programa de culinária Masterchef Celebridades, da BBC. O vídeo mostra o alegado assassino, Stephen Port, a servir massa e almôndegas a vários motoristas de autocarro do West Ham Bus Garage, em Londres, avança o The Independent.

Na filmagem, Stephen Port apareceu com uma peruca loura e estava a ajudar o cantor JB Gill e a atriz Emma Barton, concorrentes do programa, que tinham de servir cerca de 100 condutores de autocarro, conta o Mirror Online.

O homem acusado de assassinato tem 40 anos e conheceu os homens que terá matado em sites gay, convidando-os para sua casa onde os envenenou. Os corpos dos homens foram encontrados perto de um cemitério no leste de Londres. Stephen Port foi acusado de quatro crimes por homicídio e quatro crimes por administração de veneno, pela série de ataques que ocorreram entre junho de 2014 e setembro deste ano, segundo o Huffington Post.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Um porta-voz do restaurante Stagecoach de Londres já disse ao Mirror Online que Stephen foi contratado por uma empresa de catering e que não era um empregado do local.

A polícia voltou às investigações sobre as três mortes que aconteceram no ano passado, depois de o corpo de outro homem ter sido encontrado em circunstâncias semelhantes no mês passado. Stephen sentou-se no banco dos réus em Barkingside, na terça-feira, e permanece sob custódia, à espera de julgamento.

Stephen Port é acusado de matar Anthony Walgate de 23 anos, a primeira vítima, que foi encontrada na Rua Cooke em junho do ano passado. Era um estudante de moda e de design da Universidade de Middlesex. A segunda vítima, Gabriel Kovari, de 22 anos, foi encontrada perto de um cemitério em agosto do ano passado. Era originário da Eslováquia, mas vivia em Lewisham, no sul de Londres. Pouco menos de um mês depois, em setembro, foi descoberto o corpo de Daniel Whitworth, de 21 anos, perto do mesmo cemitério.

As mortes não foram inicialmente ligadas, mas depois de uma investigação mais aprofundada foram interligadas e a investigação encaminhada para a unidade de crime e homicídios.