A 15 de abril de 1912, algumas horas depois da colisão que traçou o destino do Titanic, alguém fez uma fotografia do iceberg fatal. A famosa imagem do bloco de gelo flutuante que enviou para o fundo do mar o navio que era “inafundável” foi agora leiloada por 29 mil euros. 

Consta que a imagem original do iceberg foi tirada pelo comissário chefe do navio Prinz Adalbertque passou no local da tragédia. No gelo, haveria vestígios de tinta encarnada que testemunhavam o embate do Titanic, origem de um naufrágio que provocou mais de 1.500 vítimas mortais.

Durante o leilão, organizado pela Henry Aldridge & Son, no Wiltshire, Inglaterra, uma chávena que pertenceu à sobrevivente Margaret Brown foi o objeto relacionado com o Titanic que atingiu o terceiro valor mais elevado. Foi arrematado por quase dezoito mil euros. Para Andrew Aldridge, responsável da leiloeira, “os preços refletem o interesse eterno na história do Titanic e da natureza dos objetos em causa”, de acordo com declarações citadas pela Sky News.

Em leilão esteve, também, um biscoito Spillers & Bakers, que foi encontrado a bordo de um dos barcos salva-vidas. Rendeu 21 mil euros. 

Texto de Leonor Madeira Rodrigues, editado por João Cândido da Silva