Pablo Iglesias já informou oficialmente o Parlamento Europeu de que quer deixar de ser eurodeputado. O líder do Podemos renunciou para se poder dedicar a tempo inteiro à campanha para as eleições gerais, que acontecem em Espanha a 20 de dezembro. Objetivo: ser presidente do governo, o equivalente em Portugal a primeiro-ministro.

Pablo Iglesias deu uma entrevista ao programa “Las Mañanas de RNE”, da Rádio Nacional, para explicar que não poderá manter o ritmo do último ano e meio e que por isso se vê obrigado a renunciar.

E partiu logo para o que interessa, ou seja, as eleições. Sobre o facto de o partido “Ciudadanos” aparecer à frente do Podemos, Iglesias avisou que a mudança tem de ser feita “de verdade”, e foi duro com o partido. “Não pode ser um acrescento de maquilhagem, não pode ser marketing, não podem ser jovens vendedores de produtos financeiros”.

Sobre o Podemos, negou que o partido tenha deixado a sua essência, preferindo mostrar-se mais “pragmático”, como qualquer partido com aspirações de governar.