O primeiro-ministro espanhol qualificou hoje como uma “provocação” o anúncio do acordo entre os movimentos independentistas da Catalunha para dar início ao processo para a independência da região, que diz estar à margem da lei. Mariano Rajoy deixa a garantia que estes dois movimentos não vão ter sucesso.

“O Governo garante e garantirá que não vão alcançar os seus objetivos e que mesmo aprovada, não vai produzir nem um dos efeitos esperados”, disse o líder do Governo espanhol.

Mariano Rajoy falava numa declaração ao país a partir da residência oficial do primeiro-ministro, já depois de ligar aos líderes dos principais partidos da oposição, o socialista Pedro Sanchéz, e Alberto Rivera, do Ciudadanos. Pablo Iglesias do Podemos ficou de fora dos contactos do primeiro-ministro espanhol.

Para o líder do Governo espanhol, o acordo não passa de uma provocação da parte de quem pretende contornar a lei “porque sabem que a lei não está do seu lado”. “Têm à sua frente uma lei e um Governo determinado em fazê-la valer”

A reação de Rajoy surge depois do anúncio dos dois movimentos de que terão chegado a um acordo para uma moção a aprovar no Parlamento que deve dar início ao processo de independência da Catalunha.

Os dois movimentos, que alcançaram a maioria no Parlamento regional nas eleições do final de setembro, dizem ainda que não reconhecem legitimidade ao Tribunal Constitucional espanhol e ao Governo, para impedir a pretensão da independência.