Já cheira a campanha eleitoral em Espanha. Com as eleições marcadas para o dia 20 de dezembro deste ano começam agora a surgir as propostas e ideias dos partidos. Agora, foi a vez do Partido Socialista Obrero Espanhol (PSOE), liderado por Pedro Sánchez, vir a público anunciar que vai propor uma revisão constitucional. E nela serão apresentadas alterações a uma série de medidas.

Sánchez comprometeu-se, desde cedo, com a estabilidade orçamental e, por isso, em manter os limites do défice. No entanto, isto não invalida que o PSOE queira proteger a despesa social. Para isso vai propor a alteração do artigo 135 da Constituição espanhola. Esta quarta-feira vai ser apresentado o plano para introduzir, entre outras coisas, o reconhecimento do direito ao salário mínimo e reconhecer o direito de matrimónio entre pessoas do mesmo sexo.

A apresentação do primeiro esboço desta revisão constitucional vai ser o primeiro passo. Depois das eleições, quer vença quer perca, o líder do PSOE anuncia que vai reunir todos os partidos para discutir as propostas.

Como conta o El Pais, Pedro Sánchez quer que a nova Constituição reconheça o direito fundamental de proteção da saúde e a proteção da Segurança Social. Para além disso, e como cita o diário espanhol, estará presente “o reconhecimento do direito a um salário mínimo para a manutenção de uma vida digna.”