A Fiat Chrysler anunciou esta sexta-feira que vai retirar quase 900 mil carros do mercado norte-americano por defeitos de fabrico nos airbags e nos sistemas de ABS (Anti-Bloqueio dos Travões), que já causaram sete acidentes.

A notícia está a ser avançada pela agência financeira Bloomberg, que dá conta de que a Fiat vai tirar do mercado, numa primeira fase, 351.989 Jeep Liberty SUV (veículos utilitários desportivos), de 2003, e Jeep Grand Cherokees, de 2004, para reparar os módulos de controlo do airbag e os sensores de impacto.

Destes veículos, a empresa estima chamar à oficina 284.089 veículos provenientes dos Estados Unidos, 13.411 do Canadá, 6.277 do México e 48.212 fora da América do Norte. Até ao momento, a Fiat já teve conhecimento de sete casos em que o airbag disparou indevidamente, o que provocou ferimentos nos passageiros.

Numa segunda fase, a empresa pretende chamar às oficinas 541.709 Dodge Journeys, fabricados entre 2012 e 2015. Os veículos serão retirados do mercado devido a falhas no sistema ABS, apesar de não serem ainda conhecidos incidentes relacionados com estes defeitos de fabrico.

Do conjunto dos veículos afetados, a Fiat diz que 275.614 estão nos Estados Unidos, 78.148 no Canadá, 36.471 no México e 151.476 fora da América do Norte, onde o veículo é vendido como Fiat Freemont.

Em julho, a Fiat Chrysler aceitou pagar uma multa recorde de 105 milhões de dólares (cerca de 95,5 milhões de euros) no seguimento de uma investigação governamental norte-americana à companhia, relacionada com 23 chamadas às oficinas no país e envolvendo mais de 11 milhões de veículos.

A Administração norte-americana de Segurança no Trânsito (National Highway Traffic Safety Administration) exigiu que os consumidores pudessem devolver os seus veículos à empresa se as reparações não fossem completadas.