O inverno está à porta. O frio e a chuva estão aí. Esta estação do ano traz algumas preocupações principalmente para os mais velhos. Muitos idosos sofrem de problemas de saúde, que podem até levar à sua morte, como consequência das descidas de temperatura.

Assim, o Núcleo de Estudos de Geriatria (GERMI) da Sociedade Portuguesa de Medicina Interna (SPMI) divulgou, através de um comunicado, cinco conselhos para que a população de terceira idade, especialmente os doentes crónicos, possam passar um inverno descansado e aquecido. João Gorjão Clara, coordenador do GERMI explica também que “a doença coronária, a insuficiência cardíaca, a hipertensão, a doença pulmonar obstrutiva crónica (DPOC) e diabetes podem agravar-se quando as temperaturas estão mais baixas. Adotar uma atitude preventiva pode ajudar estes doentes a evitar complicações das suas patologias que podem levar a internamentos prolongados ou mesmo à morte”.

Os “cinco mandamentos” têm como base a alimentação, vacinação e exercício, entre outros. Passamos assim a enumerar os cinco conselhos propostos pelo GERMI:

  1. Comer de forma equilibrada e hidratar-se: o primeiro mandamento tem a ver com a comida e bebida. Segundo se explica no comunicado, a “alimentação equilibrada, repleta de frutas, vegetais e fontes de proteína” ganha maior importância durante o inverno. O corpo precisa das calorias dos alimentos para manter a temperatura e das vitaminas das frutas e vegetais para combater as infeções.” Mas não só: “Beber 1,5 l de água por dia é tão importante como comer adequadamente.”
  2. Vestir roupa e calçado quente: esta é uma das formas mais tradicionais de nos protegermos do frio. Mas é um comportamento importante. Segundo o GERMI “proteger a cabeça e pescoço com gorros e cachecóis é essencial, bem como usar luvas para proteger as mãos.” No entanto é preciso evitar as solas de borracha “pois escorregam no chão húmido.”
  3. Vacinação: Não só as crianças precisam de vacinas para se protegerem. No caso dos idosos a “vacinação contra as infeções respiratórias é primordial”, principalmente para aqueles que sofrem de doenças crónicas, sendo que as “vacinas da gripe e da pneumonia são as mais recomendadas”. 
  4. Exercício físico: apesar de o clima frio e chuvoso pedir uma lareira ou uma braseira, o melhor e o mais saudável a fazer para se manter aquecido é mesmo o exercício físico. Isto porque a atividade física “contribui para a manutenção da integridade dos movimentos e para a saúde cardiovascular mas também porque produz calor”. Mas isto não é sinónimo de correrias debaixo de chuva: “Para manter a atividade física, faça exercício em casa, subindo e descendo escadas ou caminhando no corredor”. Este tipo de movimento é “preferível aos sistemas de aquecimento”.
  5. Cuidado com a medicação: as precauções a tomar relativamente aos medicamentos é um comportamento aconselhável a todas as faixas etárias e durante todo o ano. Mas no inverno e no caso dos idosos esses cuidados devem ser redobrados. Ou seja, sempre que lhe é receitado algum medicamento pergunte “como se chama, para que serve, qual é o efeito, como se toma, quanto tempo dura o tratamento e se há efeitos secundários a ter em conta.”