O negócio da venda de livros da Amazon começou na Internet, há 20 anos, mas agora a empresa decidiu preparar um regresso “à moda antiga”. Foi inaugurada esta terça-feira a primeira loja física, a “Amazon Books”, em Seattle, que não pretende ser apenas mais uma livraria tradicional, já que irá apresentar, segundo o The Guardian, uma seleção de livros baseada nas críticas do site, no total das vendas, nas classificações atribuídas pelos clientes e ainda na popularidade e classificações das publicações na plataforma Goodread’s. Os preços da loja física vão ser iguais aos do site.

A loja física colocará à disposição dos clientes uma prateleira com os livros mais vendidos no site e classificados com mais de 4.8 estrelas, que serão acompanhados pelos comentários das recensões feitas a cada um deles.

A “Amazon Books” não pretende ser uma loja de tecnologia, mas dará aos clientes a oportunidade de experimentar a leitura em Kindles (tablets), experimentar a Fire TV (a box da Amazon que permite aceder a uma seleção de séries e filmes), ou ainda o Echo (dispositivo digital que funciona por controlo remoto e é um assistente de voz, que permite saber aceder a música, meteorologia, trânsito, notícias, etc.). 

A loja física estará aberta sete dias por semana e a vice-presidente da “Amazon Books”, Jennifer Cast, segundo o The Guardian, explica que será uma espécie de extensão física do site que pretende aliar os benefícios dos dois universos da venda de livros.

Este poderá ser o primeiro passo para a construção do império de lojas físicas Amazon, caso este seu investimento tenha sucesso.