Há muitos, muitos anos (ou melhor, há 88), numa galáxia distante (na realidade, nos estúdios da Universal) foi inventado um personagem de animação chamado Oswald, the Lucky Rabbit. O coelho sortudo tinha algumas parecenças físicas com um rato que nasceria pouco depois e a quem seria dado o nome de Mickey — e isso não acontecia por acaso. Afinal, os pais eram os mesmos: Walt Disney e Ub Iwerks criaram Mickey depois de se desentenderem com a Universal.

Além de perder os pais, o coelho Oswald teve um outro azar. O seu filme “Sleigh Bells”, de 1928, desapareceu e nunca mais foi visto. Até agora. A instituição cultural BFI e a Disney acabam de anunciar que os seis minutos do filme perdido do coelho Oswald foi encontrado, recuperado e será exibido a 12 de dezembro.

Tudo aconteceu por acaso. De acordo com o jornal The Telegraph, a única cópia do filme que existe hoje em dia fazia parte de um arquivo que foi doado ao BFI nos anos 80. A película não fez tocar nenhum alarme e foi tratada como se fosse apenas mais um filme de animação. Podia ter ficado para sempre nos arquivos da instituição, mas um investigador americano descobriu-a enquanto fazia uma pesquisa.

_64523300_walt_note624_disney

O coelho Oswald nasceu primeiro, mas quem ficou famoso foi o Rato Mickey

Entusiasmado, um porta-voz do BFI lembrou ao The Telegraph que Oswald era “adorado pela sua personalidade rebelde” — a sua forma de agir inspirou-se no ator Douglas Fairbanks. Segundo um artigo da BBC, o coelho Oswald nasceu de um excesso e de um sorteio. Ele é um coelho porque na época havia um excesso de personagens de animação que eram gatos; e chama-se Oswald porque foi esse o nome retirado de uma série de papéis colocados num chapéu.

Pode ver aqui um excerto do filme perdido do coelho Oswald. E veja também uma das suas animações que está disponível no YouTube, “Sky Scrappers”, de 1928.