A Odebrecht Portugal “refuta integralmente” as suspeitas do Ministério Público e diz desconhecer qualquer investigação que vise a empresa e as diligências executadas pelo Departamento Central de Investigação e Acção Penal (DCIAP) no âmbito da cooperação judiciária internacional com o Brasil na investigação ao caso Lava Jato.

Confrontada com todas as informações recolhidas pelo Observador, fonte oficial da Odebrecht Portugal afirmou o seguinte:

A Odebrecht Portugal desconhece quer o conteúdo do pedido de cooperação judiciária referido, quer as alegadas diligências do DCIAP, nunca tendo sido chamada a pronunciar-se no âmbito do mencionado pedido. A empresa refuta integralmente o teor dos comentários recebidos”

Lisboa, 11/03/2013 - Realizou-se esta manhã na Procuradoria-Geral da Republica em Lisboa a tomada de posse de Amadeu Guerra como procurador-geral adjunto no Departamento Central de Investigação e Acção Penal (DCIAP) ( Jorge Amaral / Global Imagens)

O procurador-geral adjunto Amadeu Guerra lidera o Departamento Central de Investigação e Ação Penal desde Março de 2013 (Jorge Amaral / Global Imagens)

Confrontada igualmente com as suspeitas que o DCIAP já tinha recolhido contra diversos responsáveis da Bento Pedroso Construções no âmbito da Operação Monte Branco, a mesma fonte oficial referiu que “tanto quanto é do seu conhecimento, a Odebrecht Portugal não é alvo de qualquer processo de investigação em curso por parte das autoridades judiciárias portuguesas”.

O porta-voz da subsidiária nacional do Grupo Odebrecht faz questão de afirmar que o modus operandi da sociedade: 

A empresa sempre trabalhou e trabalha no quadro da legalidade e, por isso, naturalmente, cumprindo sempre a legislação vigente em cada momento”

Sobre a indiciação formal de algum dos seus responsáveis no âmbito da Operação Monte Branco na sequência das buscas judiciais que a empresa foi alvo em 2013, fonte oficial foi peremtória: