Sony

Lisboa Games Week: a festa dos videojogos chega esta semana a Portugal

475

Este fim-de-semana chega à FIL, em Lisboa, o último dos grandes eventos europeus de videojogos: a Lisboa Games Week. O Rubber Chicken falou com o diretor do evento, Pedro Silveira.

Crédito: Frederico Lira / Rubber Chicken

A dimensão atual do mercado dos videojogos é bem conhecida e movimenta mais dinheiro do que a indústria do cinema e da música juntas. Essa é apenas uma das razões que justifica um sem-número de eventos de maior e menor dimensão um pouco por todo o mundo. A comemorar a segunda edição, temos este fim de semana na FIL a Lisboa Games Week (LGW), fruto da reinvenção de um evento ligeiramente diferente, o MEO XL Party. E para falar sobre aquele que é o maior evento dos videojogos em Portugal convidámos Pedro Silveira, diretor da Lisboa Games Week, para uma conversa na redação do Observador.

Após a Gamescom, que é o maior evento de videojogos da Europa, há uma sequência de feiras que incluem as Madrid e Paris Games Week (esta última decorreu a semana passada e vamos falar sobre ela aqui no Observador nos próximos dias). Esta série de feiras termina no nosso país, no início de novembro, com a Lisboa Games Week. E ainda que as grandes novidades sejam apresentadas em Paris, com a LGW surge a oportunidade inédita para o público português de poderem ter contacto com jogos que só serão lançados no próximo ano.

À semelhança da primeira edição, também este ano os parceiros do evento trarão muitas das novidades de que já aqui falámos no Observador, o que inclui os muito esperados Star Wars Battlefront, Uncharted 4 e o dispositivo de Realidade Virtual da PlayStation. Após uma ausência bastante notada na LGW do ano anterior, a Nintendo vai marcar presença este ano com competições e com muitos jogos para toda a família, aproximando-se de outros eventos semelhantes no resto da Europa. Mas afinal, quais são as aspirações da organização da Lisboa Games Week?

Mas a grande ausência tanto da Madrid Games Week como da “nossa” Lisboa Games Week é mesmo a Microsoft. Ainda que o domínio do mercado da PlayStation seja avassalador, e apesar da péssima decisão de lançar a nova consola — a Xbox One — com um ano de diferença em Portugal tenham ditado o seu futuro no mercado, nada faria esperar a ausência da gigante norte-americana de algumas das feiras, nomeadamente da portuguesa.

O mercado português de game development tem crescido consideravelmente. As muitas startups e demais empresas portuguesas que tentam a sorte neste mercado vão estar presentes, num espaço dedicado à indústria portuguesa e que estará acessível a todo o público.

A Lisboa Games Week quer crescer, quer ser reconhecida, quer aprender de ano para ano as formas de melhor exibir um mercado gigante que cresce de dia para dia. Há muito para ver, visitar e desmistificar sobre os videojogos. A LGW é um evento para toda a família que decorrerá em Lisboa, na FIL, entre os dias 5 e 8 de novembro. O Observador e o Rubber Chicken farão uma cobertura atenta das novidades que serão anunciadas em Lisboa e dará conta das melhores promessas de videojogos para os próximos meses.

Ricardo Correia, Rubber Chicken

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)