O primeiro encontro entre os presidentes da China e de Taiwan, no próximo sábado, em Singapura, é “um marco” que ajudará a melhorar as relações entre os dois lados do Estreito, comentou esta quarta-feira um alto funcionário chinês. O encontro entre Xi Jinping e Ma Ying-Jeou foi anunciado na terça-feira e confirmado esta quarta por Pequim.

“A reunião marcará o início de uma comunicação direta” entre os dois líderes, disse Zhang Zhijun, responsável pelo Gabinete para Assuntos de Taiwan no Conselho de Estado e no Comité Central do Partido Comunista chinês.

Zhang, citado pela agência oficial Xinhua, considerou que o encontro surge “num momento importante para as relações” dos dois lados do Estreito de Taiwan, que alcançarão “um novo nível” com “mais espaço para o desenvolvimento”.

O responsável acrescentou que o encontro “promoverá a comunicação e confiança mútuas entre as duas partes, ajudará a gerir conflitos e diferenças e consolidará uma base política comum”.

Zhang disse acreditar que o encontro entre Xi e Ma terá “amplo apoio” nos dois territórios e entre a comunidade internacional.

A República da China, na ilha de Taiwan, foi proclamada após o final da guerra civil da China em 1949, quando as forças do Partido Nacionalista (Kuomintang) liderado pelo general Chiang Kai-shek se retiraram do continente chinês na sequência da vitória dos comunistas de Mao Zedong, que proclamou a implantação da República Popular da China.

O governo de Pequim considera Taiwan uma província chinesa, apesar de a ilha funcionar, na prática, como um país independente. Oficialmente, a grande maioria dos países reconhece apenas a República Popular da China.