Uma bebé britânica de um ano é agora o primeiro ser humano no mundo a vencer uma leucemia graças a um tratamento com células imunitárias geneticamente modificadas. A informação é avançada por uma equipa do hospital de Great Ormond Street de Londres, refere o The Guardian. 

Depois de passar pelos tratamentos convencionais sem sucesso, Layla Richards teria apenas meses de vida, mas tudo mudou depois da utilização de novas tecnologias genéticas. Agora, a menina está curada do cancro, um desfecho descrito por um dos médicos como “quase milagre”.

Às 14 semanas de vida, foi-lhe diagnosticada leucemia linfoblástica aguda, a forma mais comum de leucemia infantil. Foi sujeita a quimioterapia, recebeu um transplante de medula óssea mas a doença voltou. Os médicos propuseram depois um tratamento experimental (tratamento com células imunitárias geneticamente modificadas) que consistia em modificar os glóbulos brancos vindos de um dador saudável, de forma a que estas células imunitárias conseguissem vencer a leucemia.

Apesar do sucesso, os médicos não querem extrapolar este caso para outros. “Só usámos este tratamento numa menina muito forte e temos de ser cautelosos a dizer que esta possa ser uma opção de tratamento adequada para todas as crianças”, salientou Waseem Qasim, professor de terapia celular e genética no Instituto de Saúde Infantil da Universidade de Londres (UCL).