Se as eleições de 4 de outubro se repetissem hoje, a coligação Portugal à Frente ficaria mais perto da maioria absoluta, e o PS mantinha praticamente a mesma percentagem de votos. Também a CDU e o Bloco de Esquerda repetiriam a proeza e registariam um resultado semelhante ao que tiveram. É o que indica a última sondagem da Eurosondagem, divulgada esta sexta-feira pela SIC e o Expresso. Ou seja, pouco ou nada mudava, a não ser oscilações de percentagem. PSD e CDS continuam sem maioria absoluta e PS continua a poder fazer a mesma jogada à esquerda. 

No último estudo da Eurosondagem, realizado através de entrevistas telefónicas entre 29 de outubro a 3 de novembro de 2015, a coligação Portugal à Frente aparece com 40,8% dos votos, mais 2,2% do que teve nas legislativas do mês passado. O PS, em vez dos 32,3% que teve em outubro, teria agora 32,5%, enquanto o BE desce 0,2 pontos percentuais, mantendo-se na casa dos 10%, e a CDU fica na casa dos 8%, descendo apenas 0,3 pontos. De resto, também o PAN aparece na jogada, praticamente com o mesmo valor que obteve a 4 de outubro.

Quanto à popularidade dos líderes, António Costa é o que mais desce em relação ao último barómetro: perde 7,6 pontos percentuais, mas mantendo-se ainda assim no topo da tabela com um saldo positivo de 14,8%. Passos Coelho mantém-se praticamente na mesma, descendo apenas 0,5%. Catarina Martins continua firme no seu fenómeno de popularidade, aumentando 3,4 pontos. Já Jerónimo e Sousa desce ligeiramente (0,9 pontos) face à última contabilização.