Olá

831kWh poupados com a
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Reduza a sua pegada ecológica.
Saiba mais

Subida do nível da água do mar poderá fazer desaparecer casas de 760 milhões de pessoas

Este artigo tem mais de 5 anos

Grandes metrópoles da atualidade poderão ser muito diferentes daqui a um ou dois séculos, caso não se diminuam os níveis de poluição da atmosfera. Líderes mundiais tentam novo acordo este mês.

O centro de Londres completamente inundado, caso as temperaturas aumentem 4ºC
i

O centro de Londres completamente inundado, caso as temperaturas aumentem 4ºC

Climate Central

O centro de Londres completamente inundado, caso as temperaturas aumentem 4ºC

Climate Central

Mesmo que a temperatura global aumente apenas dois graus Celsius até 2100, o impacto em algumas megacidades costeiras vai ser bastante significativo. O nível da água do mar poderá subir tanto que certas zonas de cidades como Nova Iorque, Xangai e Bombaim, poderão ficar submersas, afetando a vida de, pelo menos, 130 milhões de pessoas. Se, no entanto, a temperatura aumentar quatro graus, como apontam as trajetórias atuais, a subida do mar poderá afetar entre 470 a 760 milhões de pessoas.

Estas conclusões constam de um estudo do Climate Central, uma organização científica sediada nos Estados Unidos da América que se dedica à análise das alterações climáticas e suas consequências. Este trabalho, que mapeou as principais zonas de risco em todo o mundo, é mais uma pressão aos líderes globais, que no fim deste mês vão estar reunidos em Paris para tentar definir novas metas para as emissões de dióxido de carbono e, assim, tentar reduzir o aumento da temperatura em dois graus Celsius. 

A China, que é atualmente o país que mais dióxido de carbono emite para a atmosfera, é também o país que mais tem a perder com a subida do nível da água do mar, conclui o estudo. Se a temperatura aumentar quatro graus, como os cenários atuais apontam, 145 milhões de pessoas poderão sair afetadas, enquanto se aumentar dois, o número desce para 64 milhões. Entre as megacidades que enfrentam mais problemas estão Xangai, Hong Kong, Calcutá, Bombaim, Jacarta, Hanói e Daca — todas na Ásia. No entanto, países como os Estados Unidos, o Brasil, a Holanda e o Egito também vão sentir repercussões da subida do nível da água do mar.

Numa das ferramentas com mapas interativos disponibilizada pelo Climate Central é possível ver o impacto da subida do mar em todas as zonas do globo. Para Lisboa, por exemplo, prevê-se que a água suba 1,5 metros até 2190 se se mantiverem os atuais níveis de poluição da atmosfera. Por essa altura, zonas como Alcântara, Santa Apolónia e o Beato estarão submersas.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

A equipa fez algumas montagens fotográficas para mostrar como algumas cidades vão ficar, previsivelmente a partir daqui a dois séculos.

Nova Iorque

Londres

Rio de Janeiro

Sydney

Bombaim

Xangai

Durban

 
Assine um ano por 79,20€ 44€

Não é só para chegar ao fim deste artigo:

  • Leitura sem limites, em qualquer dispositivo
  • Menos publicidade
  • Desconto na Academia Observador
  • Desconto na revista best-of
  • Newsletter exclusiva
  • Conversas com jornalistas exclusivas
  • Oferta de artigos
  • Participação nos comentários

Apoie agora o jornalismo independente

Ver planos

Oferta limitada

Já é assinante?
Apoio a cliente

Para continuar a ler assine o Observador
Assine um ano por 79,20€ 44€
Ver planos

Oferta limitada

Já é assinante?
Apoio a cliente

Ofereça este artigo a um amigo

Enquanto assinante, tem para partilhar este mês.

A enviar artigo...

Artigo oferecido com sucesso

Ainda tem para partilhar este mês.

O seu amigo vai receber, nos próximos minutos, um e-mail com uma ligação para ler este artigo gratuitamente.

Ofereça artigos por mês ao ser assinante do Observador

Partilhe os seus artigos preferidos com os seus amigos.
Quem recebe só precisa de iniciar a sessão na conta Observador e poderá ler o artigo, mesmo que não seja assinante.

Este artigo foi-lhe oferecido pelo nosso assinante . Assine o Observador hoje, e tenha acesso ilimitado a todo o nosso conteúdo. Veja aqui as suas opções.

Atingiu o limite de artigos que pode oferecer

Já ofereceu artigos este mês.
A partir de 1 de poderá oferecer mais artigos aos seus amigos.

Aconteceu um erro

Por favor tente mais tarde.

Atenção

Para ler este artigo grátis, registe-se gratuitamente no Observador com o mesmo email com o qual recebeu esta oferta.

Caso já tenha uma conta, faça login aqui.

Apoie o jornalismo. Leia sem limites. Verão 2024.  
Assine um ano por 79,20€ 44€
Apoie o jornalismo. Leia sem limites.
Este verão, mergulhe no jornalismo independente com uma oferta especial Assine um ano por 79,20€ 44€
Ver ofertas Oferta limitada