The Interlace, localizado em Singapura, desenhado pelo arquiteto Ole Scheeren Buro, do Office Metropolitan Architecture (OMA) foi eleito o edifício do ano pelo Festival Mundial de Arquitetura (WAF).

O júri de especialistas, que incluiu o arquiteto de renome britânico, Peter Cook, considerou que este edifício pode mudar a conceção básica no que diz respeito ao planeamento das cidades e mudar a ideia tradicional do que significa viver nas metrópoles modernas, conta a CNN.

O júri de especialistas, que incluiu o arquiteto de renome britânico Peter Cook, considerou que este edifício pode mudar a conceção básica no que diz respeito ao planeamento das cidades e mudar a ideia tradicional do que significa viver nas metrópoles modernas, conta a CNN. “O The Interlace fez uma grande declaração urbana: oferece uma cidade intercalada pelos espaços e pela vegetação”, disse Peter Cook.

O edifício é um complexo residencial, projetado a larga escala, que foi concluído em 2013. Reúne 31 blocos de apartamentos, de 1040 habitações, que se intercetam na diagonal e que ocupam 170 mil metros quadrados inseridos num ambiente natural.

O sócio de Bure Ole Scheeren, Eric Chang, explicou o objetivo. “O nosso pensamento passou por tentar conceptualizar algo parecido a uma aldeia, mais do que um edifício de habitação. O nosso design oferece múltiplas oportunidades de conexão social, o senso real de comunidade, a presença da natureza e um espaço generoso.”

O edifício foi construído sob estratégias de design que pretendem, por exemplo, que os pátios estejam orientados para a luz do dia para proporcionar um maior conforto, sendo que por sua vez o layout aberto pretende promover as oportunidades de interação social entre os moradores.

Peter Cook considera que este será um edifício de que nos vamos lembrar daqui a uns anos. “A maior parte da arquitetura é previsível, particularmente as habitações. Um bloco, em cima de um bloco, em cima de outro bloco. Mas este não é esse tipo de edifício”, acrescentou.