O parlamento regional da Catalunha rejeitou, esta segunda-feira, a investidura de Artur Mas, que não conseguiu ser reeleito presidente da Generalitat (governo regional), avançam os jornais espanhóis El Mundo e El País. Dez deputados da Candidatura d’Unitat Popular (CUP) disseram “não” — apenas os 62 deputados da coligação Junts pel Sí (JxS) votaram a favor (contabilizaram-se 73 votos contra). Artur Mas precisava de maioria absoluta, isto é, do parecer positivo de pelo menos 68 deputados. 

Isto acontece um dia depois de os partidos JxS e CUP unirem forças para aprovar no parlamento uma resolução que dá início ao processo independentista da Catalunha. No entanto, esta terça-feira ficou marcada pela falta de acordo em proclamar Mas presidente catalão na nova legislatura, como já se esperava. Os partidos da oposição mostraram-se particularmente duros com Mas por causa dos escândalos de corrupção em que o atual presidente da Generalitat está envolvido. O Ciudadanos, maior partido da oposição na Catalunha, insistiu fortemente neste ponto.

Artur Mas terá uma segunda oportunidade na próxima quinta-feira e, numa segunda votação, será suficiente uma maioria simples — considerando este cenário, bastariam apenas os 62 votos a favor do JxS e outros dois do CUP, bem como a abstenção de oito deputados deste grupo parlamentar. Os responsáveis do CUP dizem, no entanto, que não querem que Mas seja presidente, uma vez que o responsabilizam pela aplicação de planos de austeridade com os quais não concordam.