Nesta altura do ano, com o inverno a ser suspenso temporariamente pelo verão de São Martinho, começam a surgir as desconfortáveis e dolorosas gripes. Dores corporais, calafrios, febre, náuseas entre outros sintomas obrigam muitas pessoas a ficar em casa a encherem-se de chá quente e medicamentos. Mas se tivesse que passar por tudo isto a troco de 5.550 dólares (5.100 euros)? Porque não?

É o que um centro de investigação de Londres, no Reino Unido, oferece. Para além de um alojamento num acampamento com direito a comida e Internet. O objetivo é desenvolver novos medicamentos e mais eficazes contra todos os tipos de gripe, avança a BBC.

Como diz Cyrus Ghobado, investigador do centro de virologia hVIVO, “o que queremos averiguar com exatidão é quando e como são contagiadas as pessoas com uma infeção viral e quanto tempo demora a recuperação.”

Para isso os responsáveis pela experiência infetam os voluntários com o vírus da gripe pelo nariz através de pequenas quantidades de água. A meta é determinar os efeitos dos vírus no corpo. Dependendo da investigação os voluntários podem ficar isolados até duas semanas e meia num quarto com casa de banho privada. O único contacto que têm com o exterior é através da Internet e com a equipa do centro.

151110152339_flu_camp_624x351_bbc_nocredit

BBC

Dois dias depois de administrada a dose de gripe os sintomas começam a surgir os sintomas. De seguida são experimentados novos medicamentos para se observar os seus efeitos. Mas estes são “rigorosamente estudados” para se ter a certeza que podem ser utilizados em humanos. Para tudo isto o incentivo mínimo é de 3 mil dólares (2800 euros).