Algumas crianças seguiam a bordo do comboio de alta velocidade (TGV) francês que sábado descarrilou perto de Estrasburgo quando circulava em testes, e que por isso só deveria transportar técnicos, admitiu a empresa ferroviária, citada pela AFP.

“Havia algumas crianças a bordo”, admitiu um porta-voz da transportadora, sem especificar se existem crianças entre as vítimas do acidente, acrescentando que a investigação a decorrer irá determinar o número de pessoas que seguiam no comboio em testes.

Dez mortos foi o último balanço do acidente com um comboio TGV, que efetuava ensaios na nova linha de alta velocidade no norte de Estrasburgo, França, um dia depois de vários atentados terroristas na capital terem feito pelo menos 129 mortos.

No sábado, a empresa dos Caminhos de Ferro de França informou que o comboio circulava com 49 técnicos a bordo, sem outros passageiros, e terá “descarrilado devido ao excesso de velocidade”A polícia disse, no entanto, que a causa do desastre ainda não foi determinada.

Esta nova geração de TGV deveria entrar em funcionamento na primavera do próximo ano. Trata-se do acidente mais grave com o serviço de transporte de TGV em França, desde que entraram em circulação, em 1981.