Vândalo não destrutivo. É assim que Rich McCor se descreve na sua página de Instagram, onde surge como o utilizador @paperboyo. O nome conta só metade da história: é um artista britânico de 28 anos que trabalha com papel. Quanto ao resto, contamo-la nós. Mas deixamos-lhe já uma curiosidade: tudo começa em Portugal. 

recorte lisboa

As primeiras imagens do Instagram de Rich McCor são todas dedicadas à capital portuguesa. Nesta, a descrição foi “tempo de voltar para casa, desligar o meu ‘modo de voo’ e depois agendar outra viagem”. Créditos: Rich McCor

Foi enquanto Rich McCor passeava em Lisboa que encontrou no papel uma forma diferente de trabalhar as suas fotografias. No entanto, não foi à beira Tejo que o inglês usou os seus recortes em interação com monumentos que agora o tornam conhecido: “A ideia de transformar os edifícios surgiu quando voltei para Londres e comecei a pensar sobre como podia fotografar a cidade de forma diferente”, explica Rich ao Observador. Imagens da capital inglesa não faltam. O que faltava era alguém que criasse uma visão diferente da cidade. 

E que melhor sítio para começar esse projeto senão no Big Ben? Andou de um lado para o outro na Ponte Westminster em busca do sítio certo com a profundidade desejada. Depois carregou no botão da máquina e foi abordado por um pai que passeava com a filha. Estavam intrigados com aquela agitação toda e perguntaram-lhe o que estava a fazer. “Mostrei-lhes a foto, os dois sorriram e eu soube que devia fazer mais”, conta Rich.

recorte relogio

“Comprei um relógio de pulso novo quando fui à Torre há pouco”. Esta foi a imagem que lançou o artista de 28 anos para as páginas da Internet. Créditos: Rich McCor

Nunca perde demasiado tempo a pensar no próximo passo porque “isso retiraria a diversão da coisa”. Às vezes tem uma ideia de imediato, outras tem de “deixar o subconsciente brincar”. Reflete, ainda assim, sobre os sítios que vai visitar porque produz os recortes em casa. Um dos que mais esforço exigiu foi a imagem que interagia com a Ópera de Amesterdão: quando colocou os auriculares para trabalhar, nunca pensou que demoraria uma hora a recortar uma pauta musical. Até porque o processo de relacionar o recorte com a paisagem não costuma demorar mais que quinze minutos.

Mas este não foi o trabalho favorito de Rich McCor: o que mais gosto lhe deu a produzir foi feito em Copenhaga, quando recortou um OVNI e o colocou por cima do Cirkelbroen. “Tive a ideia assim que vi os círculos da ponte, e apesar do corte ser simples o resultado final parece-me muito bom. Sorri para mim mesmo quando vi a fotografia a sair”, conta o artista.

recortes ovni

“À distância, atrás da ponte, vê-se o Tivoli, um parque de diversões mandado construir pelo Rei em 1843 para que as pessoas se pudessem distrair e ‘pensar menos sobre política’. O Walt Disney visitou o local e sentiu-se inspirado. Pouco depois criou a Disneyland”. Créditos: Rich McCor

Mas não se fica por aqui: agora segue-se Dublin. E vai continuar em busca de interações com algumas das paisagens e monumentos mais famosos do mundo, como Nova Iorque, Rio de Janeiro ou Sidney. “As paisagens icónicas são as que mais gosto, porque são mais familiares para as pessoas”, justifica.

Conheça o trabalho de Rich McCor na fotogaleria e leia algumas das curiosidades que o artista dá a conhecer nas legendas das imagem. E depois procure-o nas redes sociais.