A ideia de que uma boa noite de sono pode ajudar na tomada de decisões é já um dado adquirido… ou era. Os tempos mudaram e agora até o provérbio “não deixe para amanhã o que pode fazer hoje” se pode aplicar às decisões.

Segundo a Bustle, um novo estudo veio constatar que dormir pode não ajudar no processo de escolha. Embora teoricamente possa fazer sentido anteceder uma tomada de decisão com uma noite de sono, cientificamente o tempo e o descanso não produzem resultados mais positivos.  A discussão foi instaurada por uma equipa da Harvard Business School que tem vindo a desenvolver uma investigação que consiga provar que “dormir sobre o assunto” não só não ajuda mas também torna uma tomada de decisão mais difícil.

Para chegarem às suas conclusões, publicadas no Journal of Behavior Decision Making, os investigadores fizeram dois grupos. A ambos foram mostradas duas malas de computador diferentes e foi-lhes dito que podiam entrar numa rifa para ganharem apenas uma delas. A um grupo foi pedido que fizesse uma oferta perante a mala escolhida e ao outro que esperasse até à manhã seguinte.

Os grupos foram analisados e os investigadores concluíram que aquele que “dormiu sobre o assunto” teve mais dificuldade em chegar a uma decisão. O tempo extra que teve deu azo a que a dúvida e a confusão se instalassem, além de ter tornado o grupo muito mais apegado à mala escolhida.

Mas se levar o seu tempo a tomar uma decisão não melhora a qualidade da mesma, tomar decisões precipitadas será melhor? A resposta é simples: não. Continua a ser importante considerar todas as opções e certificar-se de que está bem acordado, alerta e ciente quando toma decisões. Ou seja, uma boa noite de sono pode não ajudar a decidir se deve despedir-se do seu trabalho ou não, mas uma boa noite a pensar sobre o assunto não irá fazer mal nenhum.