Luís Marques Mendes identificou, este domingo, quatro condições “mínimas” que o Presidente da República deve exigir às partes do entendimento à esquerda. Segundo o ex líder do PSD Cavaco Silva tem de escolher um de dois males – um mal maior que seria um Governo de gestão e um mal menor que é o “Governo de António Costa” com um acordo “preso por arames”.

Por considerar este entendimento “pífio” e cheio de fragilidades, o comentador, afirmou na SIC, que Cavaco não pode dar posse a um Executivo liderado pelo PS sem pedir esclarecimentos. Ou seja, o Presidente terá que colocar “questões máximas ou garantias mínimas”.

Para isso Marques Mendes prevê, em jeito de conselho, que Cavaco Silva vai pedir, pelo menos, quatro condições para dar posse a um Governo de esquerda:

  • Uma moção de confiança no dia em que o programa de Governo for debatido no Parlamento;
  • Exigir que seja garantida a aprovação do 1º Orçamento. Segundo Marques Mendes “nem aqui há acordo” e que não é possível “haver um Governo que dure dois meses”;
  • Exigir que haja “consultas prévias” e “que se entendam” em relação às leis vindas do Governo;
  • Que haja um entendimento em relação ao Programa de Estabilidade e Crescimento que “é já em abril e é um instrumento fundamental da Europa”.