A Comissão Interamericana de Direitos Humanos expressou, na terça-feira, preocupação” com a violência nos centros de detenção para adolescentes São Miguel e São Francisco, em Fortaleza, Brasil, onde um jovem morreu e outros seis ficaram feridos.

A Comissão mostrou-se “preocupada”, considerando que esta morte aconteceu “num contexto de reiterados atos de violência” nos centros de detenção para adolescentes no estado brasileiro do Ceará.

Os conflitos começaram a 6 de novembro no Centro de Detenção São Miguel e no Centro de Detenção São Francisco. Os adolescentes pegaram fogo a colchões e aparelhos elétricos, destruindo parte das instalações, o que levou à intervenção da polícia militar para controlar a situação. Um jovem morreu e seis ficaram feridos.

As autoridades nacionais ainda não identificaram a origem do disparo que causou a morte de Márcio Ferreira do Nascimento, de 17 anos. A Comissão Interamericana de Direitos Humanos disse ter recebido informação “consistente” sobre as “deficiências dos centros de detenção do Ceará, que promovem as condições para que acontecimentos desta natureza ocorram com alguma periodicidade”.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Só no último mês ocorreram 15 motins em centros de privação de liberdade de adolescentes no estado de Ceará, que se caracterizam pela “sobrelotação, condições precárias de infraestruturas, violência por parte dos trabalhadores prisionais, alimentação deficiente, motins e fugas”, segundo esta comissão.

A organização de defesa dos Direitos Humanos afirmou ainda ter informação de que a maioria dos jovens passa todo o dia nem celas, sem que existam atividades sociais e educativas com vista à sua reinserção na sociedade.