Jonah Lomu, antigo jogador de râguebi pela Nova Zelândia, foi encontrado hoje morto pela família em Auckland. Lomu tinha-se retirado dos relvados em 2002, logo após a descoberta da síndrome nefrótica, uma doença rara nos rins. Dois anos depois fez um transplante e passou os últimos dez anos a fazer diálise – continuando sempre a acompanhar a seleção All Black e a representar o seu país.

Era uma força da natureza: quando jogava corria mais rápido que todos os outros e tinha uma força explosiva que era imparável. Jonah Lomu, considerado por muitos o maior jogador de râguebi de sempre, estava para o desporto da bola oval como Eusébio para o futebol. Há outros enormes nomes no panteão do râguebi, alguns também da Nova Zelândia, mas poucos como Lomu representaram a pureza do jogo vindo das ilhas do sul. As últimas palavras públicas do jogador foram escritas no Facebook no sábado, quando deixou uma simples mensagem pelos “amigos de Paris”.

Em oito anos na seleção, defendeu as cores do país por 63 vezes e marcou 185 pontos (37 ensaios). O ensaio concretizado por Lomu na meia-final do mundial de râguebi, em 1995, foi este ano considerado a melhor jogada de um Mundial. Enquanto o planeta desportivo se despede do gigante Jonah Lomu, fique com o vídeo dessa jogada:

https://www.youtube.com/watch?v=DPMZrPjW5cs