O departamento de investigação da comissão de ética da FIFA anunciou este sábado ter “pedido sanções” contra o presidente demissionário da organização, Joseph Blatter, e Michel Platini, um dos seis candidatos à sucessão.

Anunciando ter terminado a instrução dos processos contra Blatter e Platini, ambos suspensos provisoriamente pelo período de 90 dias, e alertando para a “presunção de inocência”, o departamento de investigação da comissão de ética da FIFA não especificou que tipo de sanções requereu.

“O departamento de investigação entregou ao departamento que julgará o caso, presidido por Hans-Joachim Eckert, os seus relatórios, que contêm os pedidos de aplicação de sanções contra Joseph Blatter e Michel Platini”, precisa o comunicado.

“Por razões de proteção da vida privada e devido ao princípio da presunção de inocência, o departamento não publicará os pormenores destes relatórios e das sanções pedidas contra os dois dirigentes”, adianta o comunicado.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Num comunicado separado, o departamento de julgamento da comissão de ética da FIFA confirmou ter recebido os relatórios, precisando que os vai estudar “com atenção” e que “decidirá a tempo e horas se avança ou não com um processo formal de julgamento.

Entre outros, a comissão de ética da FIFA acusa Michel Platini de ter recebido 1,8 milhões de euros em 2011 de Joseph Blatter para pagar um trabalho de aconselhamento realizado em 2002.