O empresário José Carlos Bumlai, amigo do ex-Presidente Lula da Silva, foi preso sob suspeita de cometer ilegalidades em contratos com a Petrobras, durante a 21.ª fase da Operação Lava Jato.

Bumlai é acusado pelo Ministério Público Federal brasileiro de utilizar contratos assinados com a petrolífera brasileira para saldar empréstimos bancários destinados a financiar o Partido dos Trabalhadores (PT), que tem entre os filiados Lula da Silva e a actual Presidente, Dilma Rousseff.

Segundo informações do Ministério Público divulgadas pela imprensa brasileira, empresas do grupo Schahin, o mesmo do banco que realizou o empréstimo a Bumlai, obtiveram o contrato de operação de um navio-sonda da Petrobras sem qualquer concurso.