Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Hollywood está a enfrentar uma espécie de praga que, apesar de não afetar a indústria cinematográfica ou musical, enche capas de revistas e diferentes redes sociais. Se em tempos a figura da ama poderia estar associada a uma Mary Popins de vestes conservadoras e chapéu-de-chuva mágico, hoje o mais provável é encontrarmos raparigas novas cuja função é passar 24 horas a cuidar dos filhos de um casal mais ou menos mediático. E o problema parece ser mesmo esse: as amas de Hollywood.

A história mais recente estalou este mês nas bancas e é protagonizada por Gwen Stefani e o agora ex-marido Gavin Rossdale. Conta a imprensa internacional que Rossdale terá tido uma relação de três anos com a ama da família, Mindy Mann, que começou a trabalhar com eles em 2008. Mindy manteve-se no cargo até 2015, altura em que Stefani terá descoberto provas da relação adúltera, tal como escreve o site Hollywood Life. 

Mas Gwen e Gavin são apenas um dos casais famosos que viu a sua história de amor chegar ao fim pelo mesmo motivo — quase parece contagioso. Antes deles, foi a vez da dupla Ben Affleck (42) e Jennifer Garner (43) anunciar o divórcio ao fim de 10 anos de casamento. A culpada, mais uma vez, terá sido a ama dos três filhos, Christine Ouzounian, de apenas 28 anos. 

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Apesar de o ator ter negado as alegações, a ex-ama terá revelado detalhes da sua relação com Affleck a amigos próximos, chegando a admitir momentos de intimidade com o ator durante uma viagem da família às Bahamas. O certo é que existem fotografias comprometedoras q.b de Ouzounian a bordo do jato privado de Affleck.

Outra história é a que aquela que interrompeu o romance entre os atores Jude Law e Sienna Miller. Ao anúncio de noivado seguiu-se um pedido de desculpas público por parte de Law, que admitiu ter tido um caso com a ama das crianças, Daisy Wright, de 26 anos. “Quero apenas dizer que estou profundamente envergonhado e chateado por ter magoado a Sienna e as pessoas que nos são mais próximas”, disse Law num comunicado enviado à British Press Assocation. “Quero pedir desculpa publicamente à Sienna e às respetivas famílias pela dor que causei. Não há defesa para as minhas acusações, as quais lamento sinceramente.” O casal que se separou em 2006 tentou ainda dar uma segunda oportunidade à relação, mas acabaria por cortar definitivamente os laços em 2011.

https://twitter.com/AshleySpivey/status/378165002630619136

Ao que parece, os contos de fadas são difíceis de encontrar assim que se passa da grande tela para uma vida a dois. É que o assunto toca todos e até diz respeito àquele que parecia ser um dos casamentos mais resistentes em Hollywood. Foi também uma espécie de ama (neste caso, governanta), que quebrou uma união oficializada em 1986, ano em que o homem-músculo Arnold Schwarzenegger passou a interpretar o papel de marido da jornalista televisiva Maria Shriver, com quem teve quatro filhos. Muitos anos depois, o escândalo rebentou em 2011: o ator e ex-governador da Califórnia tinha sido adúltero e desse caso tinha nascido uma criança. 

Depois de deixar o cargo de governador falei à minha mulher sobre este evento, que aconteceu há uma década”, disse Arnold na altura em que a notícia foi repetidamente publicada em diferentes meios de comunicação. “Eu percebo e mereço os sentimentos de raiva e desilusão entre os meus amigos e a minha família. Não há desculpa e assumo a responsabilidade total pela dor que causei.”

https://twitter.com/LsnUpFolks/status/635822770157305856

Outro casal que parecia ser perfeito era aquele composto por Ethan Hawke e Uma Thurman. Casados em 1998 e oficialmente divorciados em 2005, os atores tiveram dois filhos em comum. E, apesar de Hawke ter sempre negado qualquer envolvimento com a ama das crianças durante o tempo em que esteve com a protagonista de Kill Bill, poucos anos depois voltou a casar-se. E, sim, foi com a ama. Os dois permanecem juntos desde então e já são pais de outras duas crianças.

Recuando ainda mais o relógio do tempo, encontramos a história do já falecido Robin Williams, ator que curiosamente chegou a fazer o papel de ama em Papá para Sempre. À semelhança do que poderá ter feito Hawke, o artista divorciou-se da primeira mulher, Valerie Velardi, em 1988 para, um ano depois, casar-se com Marsha Garces, a ama do filho. Foi também em 1989 que os dois foram pais de Zelda Williams, à qual se seguiu, em 1991, o filho Cody Williams. 

Com Rob Lowe os acontecimentos foram drasticamente diferentes. O ator disse ser alvo de uma tentativa de extorsão por parte da sua ama de longa data, Jessica Gibson, ela que apresentou uma queixa em tribunal por alegado assédio sexual. A esse processo, que acabou por cair, seguiu-se uma segunda ação legal contra outra ama de Lowe, acusada de espalhar rumores maliciosos que abalavam a fidelidade do ator para com a sua mulher de mais de 20 anos.