Um incêndio que deflagrou na noite passada num campo de refugiados na Argélia matou 18 migrantes africanos e feriu outros 43, divulgaram hoje os serviços de emergência argelinos.

“O alerta do incêndio foi dado pelas 03h00 locais (02h00 em Lisboa) e matou 18 pessoas, deixando outras 43 feridas, no campo que acolhe migrantes em Ouargla, a 800 quilómetros de Argel”, disse Farouk Achour, porta-voz da Proteção Civil local.

Até ao momento, as causas do incêndio não são conhecidas nem as nacionalidades das vítimas.

O local, um hangar com todas as condições, colocado à disposição dos migrantes pelas autoridades locais, acolhia mais de 600 pessoas, precisou Farouk Achour.

A Proteção Civil interveio rapidamente no sentido de circunscrever o incêndio, alegadamente provocado por um aquecimento improvisado, uma vez que as temperaturas baixaram drasticamente nos últimos dias.

Uma investigação foi entretanto aberta pela polícia científica para determinar as causas do incêndio.

A Argélia tornou-se um destino privilegiado para os migrantes subsarianos, mas este fluxo levou ao aumento dos comportamentos racistas, que vem sendo demonstrado através de artigos na imprensa, denunciados por várias organizações não-governamentais.