Depois de formalizada e assinada a privatização da TAP, os seus novos donos, David Neeleman e Humberto Pedrosa, já estão a avançar para medidas de redução do passivo e de reestruturação. E uma dessas medidas pode passar pela venda do chamado “reduto TAP” que engloba não só a sede, mas também escritórios e oficinas da companhia aérea localizados junto ao aeroporto.

Segundo noticia o Dinheiro Vivo já começaram a ser feitos os primeiros contactos com vista à alienação destes terrenos. E um dos primeiros interessados a surgir terá sido a francesa Vinci, dona da ANA. No entanto, explica o jornal, a TAP não fez quaisquer declarações dobre o assunto.

No final do primeiro semestre do ano passado, a Parpública, quando ainda detinha a totalidade do capital da companhia, avaliava a área em questão em 146 milhões de euros. 

Apesar do início das reuniões para fechar a venda destes terrenos, não estará em causa a mudança da sede da empresa para fora de Lisboa, o que iria contra um dos deveres dos novos acionistas.