Numa nota divulgada à imprensa, o cônsul-geral em Maputo, Gonçalo Teles Gomes, informa que os conselhos aos viajantes para o Quénia foram atualizados no passado dia 19, destacando os alertas e um aviso.

Este refere-se à deslocação do papa Francisco a Nairobi, entre hoje e sexta-feira, sendo recomendada “particular atenção a comportamentos suspeitos e/ou aglomerações de intenções contrárias à referida visita, em especial na proximidade de locais onde esteja prevista a realização de eventos públicos e/ou com a participação de multidões”.

Em Nairobi, Francisco vai deslocar-se ao bairro de lata de Kangemi e vai discursar na sede do Programa da ONU para o Ambiente e ONU-Habitat, alguns dias antes do início da conferência sobre alterações climáticas em Paris (COP21).

Aos que pretendem participar nos eventos, o Consulado-Geral de Portugal aconselha a “evitar locais de onde não seja fácil retirar rapidamente, em caso de necessidade” e a respeitar com rigor as “indicações das autoridades policiais e militares que assegurarão a segurança dos vários eventos”.

São desaconselhadas “quaisquer viagens às áreas próximas da fronteira com a Somália”.

O Quénia tem sido palco de ataques por parte do movimento extremista somaliano ‘shebab’, como o ocorrido em setembro de 2013 no centro comercial Westgate de Nairobi, que matou 67 pessoas, e o que massacrou 150 estudantes na universidade de Garrissa em abril do ano passado.