O anúncio chegou pela voz de João Cotrim Figueiredo, presidente do Turismo de Portugal, no discurso que encerrou o Lisbon Challenge Tourism Day: o “Road to Web Summit” vai promover vários programas de aceleração de startups pelo país e levar os vencedores de cada competição a apresentarem o seu projeto naquela que é a maior conferência de tecnologia e empreendedorismo da Europa.

“O país vai ser mobilizado para participar na Web Summit”, disse João Cotrim Figueiredo, acrescentando que o evento liderado por Paddy Cosgrave vai ser utilizado como uma “ferramenta de marketing” para Portugal.

O Lisbon Challenge Tourism Day teve o apoio do AirBnB, do Turismo de Portugal e do Grupo Pestana e contou com a participação de startups de países como a Rússia, Finlândia, Espanha ou Portugal. O objetivo foi o de promover uma rede de relações que potencie o crescimento, internacionalização e financiamento de projetos emergentes no setor do turismo.

“No centro da discussão, está o turismo de base tecnológica, a emergência de novos modelos de negócio, bem como a apresentação de casos de sucesso que contaminem o setor, porque a inovação também tem de ser cultivada. É preciso criar e alimentar essa cultura, para que outras startups disruptivas e inovadoras possam igualmente impor-se”, afirmou Pedro Rocha Vieira, líder da associação para a promoção do empreendedorismo, Beta-i. 

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

A mudança da Web Summit para Lisboa em 2016, 20017 e 2018, veio colocar um novo enfoque nas soluções turísticas do país. Com uma estimativa que aponta para 50 mil participantes entre 8 e 10 de novembro do próximo ano, os trabalhos de preparação vão começar já no início do próximo ano.

O investimento para o evento – financiado pelo Turismo de Lisboa, Turismo de Portugal e pela AICEP – é de 1,3 milhões de euros para cobrir a logística do evento e infraestruturas.