A nova série televisiva da Amazon, “The Man in the High Castle”, mostra como seria um mundo alternativo, se os alemães tivessem saído vencedores da II Guerra Mundial. Para a promover, a empresa teve uma estratégia ousada: cobrir o teto, as paredes e os assentos de uma carruagem que percorre o metropolitano da cidade de Nova Iorque com símbolos alusivos ao Japão Imperial e à Alemanha Nazi.

https://www.youtube.com/watch?v=sowcbucw0WE

Quem não gostou foi o mayor da cidade, Bill de Blasio, que considerou esta terça-feira que a publicidade é “ofensiva e irresponsável”:

“Embora estes anúncios tecnicamente possam estar dentro das regras da MTA [Autoridade dos Transportes Metropolitanos], não deixam de ser irresponsáveis e ofensivos para os sobreviventes da II Guerra Mundial e do Holocausto, para as suas famílias, e para inúmeros outros cidadãos nova-iorquinos. A Amazon devia retirá-los [os anúncios]”, afirmou Bill de Blasio, citado pelo jornal britânico The Telegraph

Kevin Ortiz, porta-voz da Autoridade dos Transportes Metropolitanos (MTA), já reagiu, afirmando que “a MTA é uma agência governamental e não pode aceitar ou rejeitar anúncios com base na opinião que tem sobre eles; temos de seguir as regras aprovadas pelo nosso conselho de administração”, explicou.

A série é uma adaptação da obra do escritor norte-americano Philip K. Dick, com o mesmo título, publicada em 1962. No romance, Philip K. Dick descreve um mundo onde as potências do Eixo saíam vencedoras da II Guerra Mundial e dividiam os Estados Unidos em duas regiões: uma região a este controlada pelos Nazis e uma região a oeste controlada pelo Japão.

Se os anúncios não forem banidos, deverão permanecer no comboio nova-iorquino até 6 de dezembro, segundo a Autoridade dos Transportes Metropolitanos, que o Telegraph cita como fonte. Para além deste anúncio, existem ainda 260 posters colocados em estações de metro que promovem a série, e que também deverão ser retirados apenas em dezembro deste ano.