O Ministério da Saúde japonês aprovou, pela primeira vez, a utilização médica de uma armadura robótica para as pernas destinada a ajudar pessoas com doenças como esclerose lateral amiotrófica ou distrofia a caminhar e exercitar os músculos.

A armadura HAL de uso médico é o primeiro dispositivo do tipo que o Governo japonês autoriza para venda a empresas do setor da saúde, segundo informa hoje o jornal económico Nikkei.

Os sensores ligados à coxa e a outras partes do corpo detetam sinais débeis do sistema nervoso e ordenam à ‘armadura’ que cobre as pernas que ajude imediatamente, mediante o uso dos seus motores, ao movimento pretendido.

Segundo o fabricante, esta função ajuda o corpo a “recordar” como caminhar e pode atrasar os efeitos de uma doença ou contribuir para a recuperação da capacidade motora das pernas.

Os testes clínicos mostraram que os pacientes que se submeteram a nove sessões de exercícios durante um período de três meses podiam andar mais relativamente àqueles que não foram sujeitos à experiência.

O equipamento foi fabricado pela empresa Cyberdyne, que já comercializou diversos fatos ou armaduras robóticas em diversos setores.

Produtos similares têm sido aprovados nos Estados Unidos e Europa, com a Alemanha na liderança.