Dezoito aldeões foram mortos e 11 outros feridos na quarta-feira à noite num ataque atribuído ao grupo radical islâmico nigeriano Boko Haram em Wogom, localidade perto da cidade de Bosso, no sudeste no Níger, indicaram as autoridades locais.

“O balanço é o seguinte: 18 mortos, 11 feridos, perto de 100 habitações queimadas”, afirmou o presidente da câmara de Bosso, Bako Mamadou, à agência France Presse.

“Os atacantes vieram da Nigéria e apenas tiveram de atravessar o rio Komadougou Yobé”, fronteira natural entre o Níger e a Nigéria, disse à AFP um funcionário de uma organização humanitária.

No final de outubro, o Boko Haram executou 12 aldeões e feriu três outros a tiro numa localidade perto de Diffa, a capital desta região do sudeste do Níger.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Desde fevereiro que os extremistas multiplicam os ataques naquela zona de Diffa, fronteiriça do nordeste da Nigéria, feudo do Boko Haram.

A ONU registou, desde 06 de fevereiro, meia centena de ataques do Boko Haram ou confrontos entre os seus combatentes e o exército do Níger no sudeste do país.

Os ataques dos fundamentalistas islâmicos provocaram o encerramento de mais de 150 escolas e obrigaram cerca de 47.000 pessoas a abandonarem as suas casas situadas nas margens do Komadougou Yobé, segundo as Nações Unidas.

Na Nigéria, a revolta do Boko Haram iniciada em 2009 e a sua repressão causaram pelo menos 17.000 mortos e 2,5 milhões de deslocados.