Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

As autoridades da cidade alemã de Estugarda confirmaram que levaram a cabo a detenção de um homem de 34 anos suspeito de vender armas. No entanto, a Reuters refere, que não foi confirmado se o negócio foi feito com os terroristas que protagonizaram os atentados em Paris no dia 13 de novembro.

Um porta-voz do procurador da cidade afirmou, em declarações à Reuters, que “posso confirmar que um homem está sob custódia por suspeitas de tráfico de armas”, sem adiantar mais nada.

Já esta sexta-feira, o jornal alemão Bild revelava que um homem era suspeito de ter vendido quatro armas automáticas de assalto aos terroristas de Paris. A saber, duas AK-47, fabricadas na China, e duas Zasatya M70, fabricadas na antiga Jugoslávia. O mesmo diário refere que o negócio foi feito na Internet no dia 07 de novembro e que o comprador era “descendente de árabe”.

Mas o Bild vai mais longe e refere que foram encontrados quatro emails no smartphone do detido revelando uma conversa com um “árabe em Paris”. Por tudo isto, o jornal refere que a procuradoria francesa suspeita que as armas foram utilizadas nos atentados em Paris que vitimaram 130 pessoas.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR