Os serviços de concorrência da Comissão Europeia deram luz verde aos apoios do Estado português ao investimento da Volkswagen na unidade de Palmela. 

Após uma investigação, Bruxelas considerou que o auxílio regional de 36 milhões de euros concedidos por Portugal à Volkswagen Autoeuropa para investir numa nova tecnologia de produção, cumpre as regras da União Europeia em matéria de auxílios estatais.

Esta tecnologia será usada sobretudo na montagem de componentes automóveis em novos modelos na fábrica de Palmela. O custo total do projeto é de 673 milhões de euros e a produção terá início, o mais tardar, em 2016.

Bruxelas assinala que Palmela está numa região desfavorecida de Portugal, registando, na altura da concessão do auxílio, um PIB (Produto Interno Bruto) per capita inferior à média nacional, o que lhe dá o direito a beneficiar de auxílios de incentivo ao investimento.

Os serviços de concorrência da Comissão abriram uma investigação aprofundada aos incentivos de 36,2 milhões de euros que Portugal pretendia conceder ao grupo alemão há cerca de um ano. 

O grupo Volkswagen confirmou entretanto a continuidade deste investimento depois de conhecido o escândalo das emissões poluentes que levou o fabricante alemão a rever os planos e cortar custos.