Mais de 1000 pessoas foram impedidas de entrar em França desde os atentados de Paris, a 13 de novembro, por representarem riscos “para a segurança e a ordem pública”, anunciou este sábado o ministro do interior francês, Bernard Cazeneuve.

O governante, que se encontra em Estrasburgo, fazia um balanço dos resultados desde que França decidiu restabelecer os controlos nas suas fronteiras, de forma excecional, após os atentados reivindicados pelo Estado Islâmico na noite de 13 de novembro em Paris, e que provocam a morte a cerca de 130 pessoas.

Apesar de excecional, o ministro francês disse que o controlo reforçado nas fronteiras irá manter-se enquanto a “ameaça terrorista” assim o obrigar.

O reforço de segurança acontece também porque na segunda-feira os líderes mundiais reúnem-se em Paris para a cimeira do clima.