Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

São só sapatos, mas simbolizam pessoas. Milhares de pessoas que estariam entre domingo e segunda-feira a manifestar-se nas ruas de Paris. No entanto, a segurança reforçada na cidade não permitiu que as organizações ambientais fizessem aquilo que é costume sempre que os líderes mundiais se reúnem para discutir as alterações climáticas: protestar e apresentar publicamente as suas propostas para o futuro do planeta. Foi assim que surgiu a ideia de inundar a praça da República de sapatos.

Ao todo, estarão nesta emblemática praça francesa mais de 20 mil pares de sapatos enviados por pessoas espalhadas um pouco por todo o mundo. E algumas personalidades não faltaram à chamada da organização Avaaz.org que coordenou esta chamada de atenção da sociedade civil para as alterações climáticas. Entre os vários sapatos, está um par que pertence ao Papa Francisco, outro que vem do secretário-geral da ONU, Ban Ki-Moon, e outro da estilista Vivienne Westwood.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR