Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

O ex-guarda-redes italiano Dino Zoff está hospitalizado há três semanas com uma doença neurológica que o impede de andar, relata o jornal espanhol ABC. O ex-guardião da Juventus e da Seleção Italiana, que como jogador venceu seis “Calcios”, um Europeu e um Mundial de futebol, encontra-se numa clínica em Roma, e o seu estado tem evoluído de forma favorável.

A Juventus, clube onde acabou a carreira e passou dez temporadas como jogador (e que viria a orientar mais tarde como treinador, durante duas épocas desportivas), já reagiu à notícia em comunicado, no site oficial. Os bianconeri afirmaram, no passado sábado, que “Zoff é um homem forte e uma lenda” e manifestaram apoio ao ex-guardião: “Estamos todos com ele. Dino está habituado a não se dar como vencido”, lê-se na página oficial da Juventus na Internet.

Dino Zoff foi internacional pela Itália 112 vezes. Tem o recorde de jogador mais velho a vencer um Mundial de futebol: 40 anos, idade que tinha em 1982, quando ajudou a seleção italiana a vencer a competição. Catorze anos antes, em 1968, vencera o Europeu de seleções.

Após ter terminado a carreira como futebolista, Dino Zoff continuou no mundo de futebol, iniciando o percurso de treinador em 1988, na Juventus. Tinha então 46 anos. Ainda como treinador, passou pelo comando técnico da Lazio, chegando mais tarde à seleção italiana. Em 2000, orientou a equipa de Inzaghi e companhia até à final do Europeu de futebol, sendo derrotado no prolongamento pela França, por 2-1.

O capitão da Roma já enviou uma mensagem de melhoras: “Força Dino. (…) És um entre os maiores. Estou contigo”, afirmou Francesco Totti ao diário italiano Il Messaggero, ele que foi também orientado pelo ex-guarda-redes italiano nesse Europeu, em que marcou dois golos.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR