A maioria das mulheres já passou pela estranheza do jantar do primeiro encontro e de não saber o que pedir, ter vergonha de comer muito e, no fim, ficar com fome. Os homens, que também já passaram por essa experiência, podem até ter tido os mesmos receios mas, provavelmente, o inconsciente ditou-lhes que comessem até não conseguirem mais.

Um grupo de investigadores observou um grupo de homens e mulheres num buffet de comida italiana, com pizza, salada e acompanhamentos à discrição, para concluírem como é que uma refeição com pessoas dos dois sexos poderia influenciar os hábitos alimentares.

À entrada do restaurante os investigadores fizeram perguntas baseadas na escolha do restaurante, de forma a despistarem as pessoas do verdadeiro propósito do estudo. Depois limitaram-se a sentar-se e a observar a quantidade de comida ingerida pelas pessoas dependendo da companhia com quem estavam à mesa.

Os resultados foram claros. Os homens que estavam sentados com pelo menos uma mulher comeram três fatias de pizza e cinco taças de salada, enquanto os homens que estavam a jantar com amigos comeram uma fatia e meia de pizza e menos de três taças de salada. As mulheres, por outro lado, comeram mais salada e menos pizza quando estavam na companhia de outras mulheres do que na companhia de homens.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Kevin Kniffin, da Dyson School of Applied Economics and Management da Universidade de Cornell e autor do estudo, disse à Reuters que “enquanto os homens comiam desproporcionalmente na companhia de mulheres, as mulheres sentiam que comiam demais e demasiado depressa na companhia de homens, apesar de não haver provas de que de facto comessem demais”, acrescentando que “as pessoas deviam ter calma quando comem com alguém do sexo oposto”.

Os investigadores acreditam que seja possível que os homens, através da ingestão de grandes quantidades de comida, estejam, inconscientemente, a dar sinais do seu poderio biológico, ou seja, estão a exibir-se à frente de uma potencial parceira. Através do comportamento de risco (sim, porque a sensação de enfardamento não é nada agradável), os homens mostram que são tão saudáveis e estão tão em forma que conseguem suportar uma dor auto infligida, pelo menos temporariamente.

“Todos deveríamos comer mais devagar”

No entanto, o estudo não deixa de ter as suas limitações. No Evolutionary Psychological Science, os investigadores admitem que, para além de ter incidido em poucas pessoas — 74 homens e 59 mulheres –, há um desconhecimento do contexto social em que tais refeições ocorreram, o que não permite saber as diferenças dos hábitos alimentares durante um encontro ou durante um almoço de negócios.

Segundo Samantha Heller, nutricionista na New York University Langone Medical Center, assumir que os homens comem mais pizza na presença de mulheres só porque sentem a necessidade de se exibirem pode ser tirar conclusões abusivas. Fatores como os nervos, o contexto social ou quem paga a conta, por exemplo, também podem contribuir para a quantidade de comida ingerida pelos homens num encontro.

Heller diz que “todos deveríamos comer mais devagar e mais ponderadamente” já que “não há nenhuma razão para comer até entrar em coma. É mau para o corpo e não deixa ninguém a sentir-se com energia, saudável ou, no caso de uma relação homem-mulher, sexy”.

Se tem um encontro marcado, já sabe: não precisa de exibir-se que nem um pavão e mostrar a elasticidade do seu estômago, pode não ter o efeito desejado e ainda corre o risco de ficar maldisposto.