Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

O Benfica anunciou, esta terça-feira, que vai entregar participações disciplinares contra Jorge Jesus, Bruno de Carvalho, Octávio Machado e Jaime Marta Soares por “declarações” e “condutas públicas” que, na opinião do clube, se enquadram em “ilícitos disciplinares muito graves e/ou graves”. Ora, a resposta do Sporting não se fez por esperar. Os leões contra-atacaram com queixas iguais contra o Benfica.

E, em comunicado, o clube de Alvalade refere, utilizando as mesmas palavras presentes na comunicação do Benfica, que “considerando as declarações e as condutas públicas, protagonizadas de forma reiterada ao longo da presente época desportiva” do membro da direção encarnada, Rui Gomes da Silva, do administrador da Benfica SAD, Rui Costa, do diretor de comunicação do Benfica, João Gabriel, e do diretor de conteúdos da BTV, Pedro Guerra, a administração leonina decidiu apresentar participações disciplinares à Comissão de Instrução e Inquéritos da Liga Portuguesa de Futebol.

Tal como o clube da Luz , o Sporting explica que estas “declarações” e “condutas” incorrem “na prática de ilícitos disciplinares muito graves e/ou graves”, tais como, entre outros, “exercício e abuso de influência, coacção sobre árbitros, declarações sobre arbitragem antes dos jogos, declarações sobre a organização das competições e lesão da honra e da reputação dos órgãos da estrutura desportiva e dos seus membros, árbitros e demais agentes”.

Para além disso, os leões argumentam que o comunicado da direção encarnada “vem demonstrar novamente que a denúncia pública realizada causou um forte mal-estar”, referindo-se ao caso dos presentes alegadamente oferecidos pelo Benfica aos árbitros, delegados e observadores dos jogos da equipa principal e da equipa B das águias. Por isso, o Sporting vai também “reforçar os esforços nas queixas já apresentadas pela oferta das caixas” a nível das instâncias internacionais que tutelam o futebol.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Leia o comunicado do Sporting na ínterga:

No seguimento do teor do comunicado de hoje da Benfica SAD vimos por este meio reforçar o seguinte:

1. Considerando as declarações e as condutas públicas, protagonizadas de forma reiterada ao longo da presente época desportiva por parte do SL Benfica e da Benfica, SAD, através dos seus dirigentes e colaboradores como Rui Gomes da Silva, elemento da direcção do Benfica; Rui Costa, administrador da Benfica SAD; João Gabriel, director de comunicação do Benfica e Benfica SAD; e Pedro Guerra, director de conteúdos da BTV, o Conselho de Administração da Sporting Clube de Portugal – futebol, SAD decidiu:

A) reforçar os esforços nas queixas já apresentadas pela oferta das caixas incluindo vouchers de refeições e visitas a museus a árbitros, delegados e observadores, pois a reacção agora demonstrada pela Benfica SAD vem demonstrar novamente que a denúncia pública realizada causou um forte mal-estar na mesma, mostrando uma prática que viola a regulamentação desportiva neste caso o artigo 62.º;

B) fazer o reforço dessas queixas ao nível das instâncias internacionais que tutelam o futebol;

C) apresentar participações disciplinares junto da Comissão de Instrução e Inquéritos (CII) da Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP) para que a mesma averigue e aprecie as condutas das pessoas referidas no local próprio e em aplicação dos regulamentos aplicáveis. Nessas participações constam comportamentos que se enquadram na prática de ilícitos disciplinares muito graves e/ou graves, tais como, entre outros, “exercício e abuso de influência”, “coacção sobre árbitros”, “declarações sobre arbitragem antes dos jogos”, “declarações sobre a organização das competições” e “lesão da honra e da reputação dos órgãos da estrutura desportiva e dos seus membros, árbitros e demais agentes”.

2. Conforme anunciado anteriormente, a Sporting Clube de Portugal – Futebol, SAD aguardará pela investigação e apreciação dos factos pelas entidades jurisdicionais competentes, sem prejuízo das providências a tomar em sede criminal, cível e contra-ordenacional.

3. A Sporting Clube de Portugal – Futebol, SAD informa ainda que, como tem sido sua conduta habitual, irá juntar mais estas participações às já apresentadas anteriormente à Secretaria de Estado do Desporto e Juventude.

4. A Sporting Clube de Portugal – Futebol, SAD não se deixará coagir por estratégias de manipulação da opinião pública e de escamoteamento de actos que violam claramente os regulamentos desportivos e códigos de ética das instâncias que tutelam o futebol europeu e mundial. A luta pela verdade desportiva tem de prosseguir o seu caminho apesar dos inúmeros obstáculos que os que são adversos à mesma nos tentem colocar.

5. A Sporting Clube de Portugal – Futebol, SAD tem lutado pela dignificação de todos os agentes desportivos, desde os dirigentes aos árbitros. Tem apresentado constantemente a sua preocupação pelo estado de descrédito total que o futebol tem demonstrado ao nível da sociedade e apresentado propostas claras e pormenorizadas para alteração deste fenómeno e consequentemente para a obtenção das desejáveis credibilizacao e modernidade do futebol.