Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

O novo ministro do Planeamento, Pedro Marques, anda à procura de casa. Este é um dos novos ministérios que António Costa criou e estas inovações obrigam à mudança não só de leis orgânicas, algo mais burocrático, mas também de instalações físicas, algo mais comezinho mas também importante.

Ora vejamos. O ministério do Planeamento e das Infraestruturas já não existia há décadas. A última vez ocupou o Palácio Penafiel perto da Sé de Lisboa que entretanto se tornou a sede da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP). Desde a semana passada, o novo ministro, Pedro Marques, encontra-se instalado, embora provisoriamente, no alto edifício da Presidência do Conselho de Ministros, na rua Gomes Teixeira. Não vai lá ficar para sempre, até porque não há espaço que chegue para todos.

Este novo ministério tem duas secretarias de Estado: Desenvolvimento e Coesão (Nelzon Sousa) e Infraestruturas (Guilherme W. d’ Oliveira Martins). Tal como os nomes indicam, Pedro Marques ficará com a coordenação dos fundos comunitários (que no Governo anterior estava com Miguel Poiares Maduro) e as Obras Públicas.

O novo ministério do Mar, tutelado por Ana Paula Vitorino, já está no local definitivo: o Terreiro do Paço. A ministra ficou com uma parte das instalações do Ministério da Agricultura, nomeadamente, os gabinetes da anterior secretaria de Estado das Pescas – que com o PSD/CDS estava na Agricultura (de Assunção Cristas) e agora passa para o novo ministério criado. Este novo ministério é pequeno, tem só essa secretaria de Estado, que está nas mãos de José Apolinário. Ana Paula Vitorino ficará com a tutela direta dos portos.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Por fim, o novo Ministério da Ciência, com apenas uma secretaria de Estado (a da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior) fica nas Laranjeiras onde sempre esteve esta secretaria de Estado – que antes estava junta com o ministério da Educação.

Outra das inovações da orgânica é a transformação da secretaria de Estado da Cultura em Ministério (com João Soares a mandar). Também aqui não há problema. Quer fosse ministério ou secretaria, esta área tem funcionado nos últimos anos sempre no mesmo sítio, o Palácio da Ajuda, onde há espaço suficiente.

Por último, a Modernização Administrativa. Ganhou título de ministério, mas em conjunto com o Ministério da Presidência e, por isso, é simples. Maria Manuel Leitão Marques já está a ocupar o gabinete do 8º andar da Presidência do Conselho Ministros, que até há uma semana era de Luís Marques Guedes. Este prédio alberga ainda o ministro-adjunto, Eduardo Cabrita.