O Secretário-Geral da NATO, Jens Stoltenberg, anunciou esta quarta-feira que foi formalizado o convite a Montenegro para se juntar à aliança militar atlântica.

Ainda antes de decisão, Stoltenberg afirmara que “os ministros dos Negócios Estrangeiros da NATO tomaram a decisão histórica de iniciar negociações de adesão para que o Montenegro se torne o 29.º membro”, numa decisão que desagrada a alguns países, especialmente, à Rússia.

Já em setembro deste ano, e confrontado com um possível convite a Montenegro, o ministro dos Negócios Estrangeiros russo, Sergei Lavrov, afirmou que seria um “erro” e que esta medida poderia diminuir “a determinação de construir um sistema de segurança partilhada na Europa”.

O Estado que conquistou a sua independência em 2006, começou o caminho de aproximação à NATO em 2009. Agora, a organização espera que Montenegro continue a avançar com reformas “especialmente na área do Estado de Direito”.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

A decisão já foi aprovada pelos deputados montenegrinos mas, a partir do momento do convite, a formalização da integração na NATO pode demorar um ano até um ano e meio.

Como diz a CNN, juntamente com Montenegro, países como a Geórgia, a Bósnia e Herzegovina e a Macedónia, já mostraram interesse em tornarem-se membros da Organização do Tratado do Atlântico Norte.