Está confirmado: o Valência anunciou em comunicado ter “chegado a acordo com o inglês Gary Neville para que seja o treinador da [sua] equipa principal”, sucedendo ao português Nuno Espírito Santo, que abandonou o cargo. O contrato, esclarece o clube no mesmo comunicado, é válido até ao dia “30 de junho de 2016”. Ou seja, até ao final da presente época desportiva.

Em declaração ao site oficial do clube, Gary Neville afirma estar “muito emocionado” e “orgulhoso” por lhe ter sido concedida “esta enorme oportunidade”. “É um clube enorme, de imenso prestígio“, acrescentou.

O presidente do Valência, Lay Hoon Chan, manifestou-se por sua vez satisfeito pelo ingresso do treinador no clube, afirmando que o novo líder do clube che é “uma pessoa que combina experiência técnica, ganha na sua passagem pela equipa técnica da seleção inglesa, e uma brilhante carreira como jogador, [adquirida] no Manchester United e na sua Seleção”.

A aposta é inesperada e arriscada, visto que a experiência da ex-lenda do Manchester United (Gary Neville passou toda a sua carreira como jogador no clube de Manchester) é diminuta. Nunca exerceu qualquer cargo como treinador-principal, e como treinador adjunto teve a sua única experiência na seleção inglesa de futebol, que tem conciliado com o cargo de comentador desportivo na estação britânica Sky Sports. A federação inglesa de futebol já garantiu que, apesar do cargo no Valência, Gary Neville continuará o seu trabalho na seleção britânica, na preparação para o Europeu de 2016.

A conferência de imprensa de apresentação do novo treinador do Valência está marcada para esta quinta-feira, às 15h00 portuguesas (16h00 locais). Na sua equipa técnica deverá permanecer o seu irmão Phil Neville, com quem Gary jogou no Manchester United, e que já vinha desempenhando desde o passado verão a função de treinador-adjunto no clube. O Manchester United, clube onde os dois se notabilizaram enquanto futebolistas, já lhes desejou boa sorte nas redes sociais: