O Governo sueco vai disponibilizar cerca de 500 milhões de dólares (458 milhões de euros) para apoiar projetos de desenvolvimento nos próximos cinco anos em Moçambique, anunciou hoje embaixada da Suécia em Maputo

“Esta é uma nova estratégia para os próximos anos e vem reafirmar esta relação, que é especial”, disse à imprensa a embaixadora da Suécia em Moçambique, Irina Nyoni, à margem de um seminário alusivo ao 40.º aniversário das relações diplomáticas entre os dois países.

Este valor, que inclui o apoio da Suécia ao Orçamento do Estado de Moçambique, vai apoiar projetos relacionados com o ambiente, desenvolvimento sustentável, a democracia e a igualdade de género, consolidando as relações existentes entre os dois países, segundo a embaixadora.

“Este é mais um fruto desta relação, que é muito especial”, sustentou a diplomata, acrescentando que, 40 anos depois, o seu Governo faz um balanço positivo do relacionamento entre os dois Estados.

Além deste valor, o Governo sueco vai desembolsar cerca de dez milhões de euros para o apoio da investigação científica, numa parceria desenvolvida com a Universidade Eduardo Mondlane, a maior do país.

“Nós achamos importante e imperioso continuar com esta relação”, acrescentou a diplomata sueca.

Quando o país vive uma crise política, com confrontos militares entre as forças de defesa e segurança e o braço armado do maior partido de oposição, a Renamo (Resistência Nacional Moçambicana), Irina Nyoni disse que a situação é “muito complicada”, considerando, no entanto, que os moçambicanos são capazes de encontrar as soluções para os seus problemas.

“Nós precisamos ter um pouco de paciência, muita coisa aconteceu nos últimos tempos. É preciso que se lembre que Moçambique tem poucos anos de experiência”, afirmou a embaixadora, reiterando a abertura do seu país e da comunidade internacional para contribuir para o processo de desenvolvimento.

Por sua vez, o antigo Presidente Joaquim Chissano, um dos oradores do seminário, fez também um balanço positivo da relação entre os dois Estados, considerando que durante 40 anos foi sendo criado um clima de confiança.

“Há resultados palpáveis em todas áreas de cooperação entre Moçambique e a Suécia. Falo, por exemplo, da educação e agricultura”, afirmou o antigo Presidente moçambicano, enaltecendo o papel da Suécia na expansão da rede elétrica nos distritos mais recônditos do país.

“A suécia esteve sempre ligada também a todos processos da busca de paz em Moçambique”, acrescentou.