Mais de dois mil cidadãos foram fiscalizados pelo Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) durante uma operação de controlo realizada em todos os postos de fronteira marítima, indicou esta sexta-feira o SEF.

Em comunicado, aquele serviço de segurança adianta que dos 2.002 cidadãos fiscalizados nas fronteiras marítimas, 527 eram de países terceiros e 1.476 de estados-membros da União Europeia, do espaço Schengen ou associados.

No âmbito da operação de fiscalização, realizada na semana passada, o SEF registou 15 ocorrências, 13 das quais por acesso não autorizado à zona internacional dos portos e uma contraordenação por utilização da atividade de cidadão estrangeiro em situação ilegal, além de um cidadão detetado em situação permanência irregular que foi notificado para abandonar o país.

Aquele serviço de estrangeiros adianta que os valores das coimas dos processos de contraordenação instaurados variam entre os 5.900 e 21.700 euros.

O SEF realizou uma operação de controlo e fiscalização dirigida, essencialmente, à vertente marítima e na qual estiveram envolvidos todos os Postos de Fronteira Marítima.

A operação centrou-se nos portos e marinas nacionais, respetivas áreas internacionais e áreas adjacentes – pontos de passagem autorizados ou não — e teve como objetivo a prevenção, o reforço do controlo fronteiriço, a identificação e a verificação da legalidade na permanência de cidadãos estrangeiros em território nacional.

No total, o SEF realizou 97 ações que envolveram elementos de todos os postos de fronteira marítima.