O presidente do PSD, Pedro Passos Coelho, disse na Guarda que, no que respeita à despesa, “tudo se encaminha” para que o défice nacional possa ficar este ano “abaixo dos 3%”.

A Unidade Técnica de Apoio Orçamental (UTAO) estimou quinta-feira que o défice das administrações públicas, em contas nacionais, tenha ficado nos 3,7% entre janeiro e setembro deste ano, um valor acima da meta do anterior Governo para a totalidade do ano.

“No que respeita à despesa, tudo se encaminha para que nós possamos ter um défice abaixo de 3%”, afirmou o ex-primeiro ministro, explicando que, para tal objetivo, “basta manter o nível de esforço de despesa e ter o mesmo padrão de receita que até outubro foi observado, para que um défice inferior a 3% seja alcançado”.

Passos Coelho falava na Guarda, onde hoje presidiu às cerimónias oficiais dos 35 anos da morte do antigo primeiro-ministro Francisco Sá Carneiro, num acidente de avião, e de abertura da Academia do Poder Local, organizada pelo PSD e pelos Autarcas Social-Democratas.